Estudo reforça a crise de aprendizado no ensino médio

CGC Educação –   2013-03-06

Apenas 10,3% dos alunos do 3º do ensino médio conhecem matemática da forma adequada. Em português este número é de 29,2%.

Um estudo divulgado pelo movimento Todos pela Educação nesta quarta-feira, dia 6 de março, reforça o fraco aprendizado dos estudantes do ensino médio e também confirma as desigualdades regionais da educação.

De acordo com o relatório, apenas 10,3% dos alunos do ensino médio conhecem matemática da forma adequada. Em português este número é de 29,2%. Os dados tem como base o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) e a Prova Brasil de 2011.

Na comparação com 2009, a porcentagem de estudantes com conhecimento adequado em matemática piorou nesta etapa: era de 11%. Em português, houve uma ligeira melhora: era de 28,9%.

A situação é um pouco melhor no ensino fundamental. No 5º ano do ensino fundamental, em português, 40% tem o conhecimento adequado. Já em matemática, 36,3% dos alunos aprenderam o esperado. No 9º ano do ensino fundamental, em português, 27% dos estudantes detinham o conhecimento necessário. Em matemática foram apenas 16,9%.

O estudo indica que “o problema da defasagem precisa ser combatido na partida. Ou seja, se os alunos aprendem o que têm direito de aprender, diminui a repetência e, consequentemente, a defasagem. Por sua vez, alunos que já estão defasados precisam ter acesso a reforço escolar”.

A entidade alerta para a diferença entre as regiões. O Rio de Janeiro é o estado com maior índice de alunos com conhecimento adequado de matemática no terceiro ano (16,6%), enquanto o Acre é tem o menor índice (3%).

A diretora-executiva do movimento, Priscila Cruz, disse à Agência Brasil que há “um descolamento enorme” no ensino médio. “Para melhorar essa fase do ensino, é preciso melhorar todo o sistema de educação. A defasagem vem desde a educação infantil e vai se acentuando”, disse.

O relatório denominado De Olho nas Metas é divulgado anualmente e serve para monitorar o cumprimento de cinco metas estabelecidas pela entidade.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *