Biblioteca digital tem 2 milhões de itens

KATIE HUMPHREY , STAR TRIBUNE / MINNEAPOLIS – O Estado de S.Paulo – 22 de abril de 2013

Acervo por ser acessado no endereço dp.la, essencialmente um site de buscas, com um mecanismo que lembra o Google

Examinar um antigo retrato de George Washington, ler uma história de suspense ou folhear manuscritos medievais de Harvard, sempre no conforto da sala de sua casa. A Biblioteca Pública Digital da América, no ar desde 18 de abril, vai oferecer exatamente isso, disponibilizando coleções de bibliotecas e museus de todo o país para qualquer um com acesso à internet – de graça.

A nova biblioteca (que pode ser acessada no endereço dp.la) é essencialmente um site de buscas (com um mecanismo que lembra o Google) preocupado em unir e fazer dialogar registros digitalizados de diferentes instituições de todo o País – desde aquele retrato do primeiro presidente americano até romances policiais que, no século 19, eram vendidos a um centavo.

De cara, serão mais de 2 milhões de documentos, fotos e arquivos de áudio pelos quais os internautas poderão passear, além de diversas mostras e exposições que colocam seus catálogos na internet; com o tempo, mais material será acrescentado. “Se no último século, a preocupação era construir uma biblioteca em cada cidade, agora a palavra de ordem é construir uma biblioteca dentro da casa de cada pessoa”, diz Jason Roy, diretor dos serviços digitais da biblioteca da Universidade de Minnesota e responsável por coordenar a contribuição do estado ao projeto nacional.

Mas ainda não dispense completamente a biblioteca de seu bairro. A Biblioteca Pública Digital da América não contará os lançamentos e best-sellers mais recentes, em parte por conta do debate ainda em andamento sobre direitos autorais e o mercado de e-book. “Mas há um interesse claro nesse universo também”, diz Emily Gore, diretora de conteúdo. Mas, neste momento, o foco está em oferecer às pessoas um olhar sobre obras e textos menos conhecidos, abrindo uma porta virtual para coleções grandes (como a do Instituto Smithsonian) e pequenas (a Sociedade Histórica do Condado de Anoka, por exemplo) por meio de uma simples busca.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *