Espelho e alarme musical: como uma escola comum inclui alunos com deficiência

Folha de São Paulo

São 7h quando toca o alarme de início das aulas, e a diretora Lisandra Pingo se apressa em explicar: “Deu problema ontem com a música, já chamamos alguém para arrumar”.

Música? Sim, já há algum tempo a escola municipal Irineu Marinho, na região do Ipiranga (zona sul de São Paulo), trocou o incômodo sinal sonoro por uma canção para demarcar o tempo sem incomodar alunos com autismo que, muitas vezes, têm hipersensibilidade auditiva.

https://www1.folha.uol.com.br/educacao/2021/08/espelho-e-alarme-musical-como-uma-escola-comum-inclui-alunos-com-deficiencia.shtml

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *