Sites de e-learning estimulam o aprendizado

Porvir – 11/11/13  

Qual é a maneira mais prática de buscar professores particulares confiáveis? Onde encontrar um curso prático que explique como criar uma startup com poucos recursos? Ou ainda: como ser transformar em um instrutor de um curso on-line? Foi mirando nessas necessidades, presentes na realidade de alguns cidadãos brasileiros, que três empresas resolveram criar plataformas de e-learning capazes de suprir tais lacunas: a Pclick, a EduK e a Floqq. Em comum entre todos esses portais está a busca pela expansão do ensino digital de forma massificada. Com elas, a ideia é que a distância entre o usuário e o aprendizado fique ainda mais curta.

A primeira delas, a Pclick, é uma plataforma que facilita a procura por professores que dão aulas particulares. Lançada em caráter de teste em agosto, nesse ambiente virtual o usuário interessado em melhorar o nível de inglês, matemática ou qualquer outra disciplina pode encontrar professores cadastrados na plataforma, coletar os seus contatos e agendar as aulas no dia e horário mais conveniente.

 

crédito ingo bartussek / Fotolia.com

 

O grande diferencial do portal em relação aos sites e redes de classificados on-line já existentes é que os professores cadastrados pelo Pclick passam por uma triagem. Ou seja, para um usuário se cadastrar como professor, é preciso antes comprovar o nível profissional e outros dados de identificação. Depois da análise das informações, aí sim o cadastro do professor se torna visível para os demais usuários da plataforma e interessados nas aulas particulares.

Por enquanto, 90 profissionais já se cadastraram com o perfil de professor, no entanto, apenas 11 já tiveram o seu cadastro validado. O cadastro dos demais profissionais está em processo de análise. Enquanto o número de professores ainda é pequeno, o de alunos interessados nas aulas é maior. Já são mais de 350 inscritos. A expectativa do Pclick é que com a divulgação oficial da ferramenta, prevista para o próximo mês, a adesão à plataforma seja mais significativa.

“Ainda estamos com uma versão beta. Estamos recolhendo junto aos nossos usuários sugestões de melhoria. Pretendemos incluir ferramentas que permitam que as aulas ocorram on-line dentro do ambiente da plataforma. Além disso, com o sistema de qualificação dos professores, esperamos oferecer o aluno professores já aprovados por outros estudantes cadastrados no portal”, afirma Maggy Tawil, uma das sócias do site que nasceu a partir de um projeto da faculdade onde estuda, a Faap.

Tawil ainda menciona outras vantagens presentes no Pclick. Segundo ela, a ideia do site também é oferecer um catálogo de profissionais especializados em outras áreas de conhecimento como professores de artes e culinária. O portal oferece filtros de busca, que permitem encontrar os educadores por preço, localização, categoria de aula, dia e horário disponível para o encontro que pode ser presencial ou on-line, via Skype, por exemplo, tudo a depender da disponibilidade do profissional.

O Pclick não tem “interferência nenhuma” no agendamento, qualificações nem pagamento ao profissional. Ou seja, cabe a cada professor definir o preço da aula. O cadastramento, no entanto, tanto do aluno, quanto do profissional é totalmente gratuito. A equipe do Pclick espera cobrir os custos da implantação da ferramenta com vendas de anúncios publicitários dentro da plataforma.

Cursos segmentados

Tendo como um dos sócios o técnico de vôlei Bernardinho, a Eduk é uma plataforma de cursos on-line que oferece aulas gravadas e até algumas ao vivo. A startup, lançada no final do primeiro semestre deste ano, tem como principal diferencial o oferecimento de cursos bastante segmentados. Atualmente são 50 cursos que ensinam a elaborar projetos sociais, a criar startups com poucos recursos, a escalar e inovar negócios. Estes dois últimos são desenvolvidos pela Endeavor, organização pioneira no estímulo ao empreendedorismo no Brasil.

Assista ao vídeo de apresentação do curso “Como escalar e inovar em seu negócio?”:

 

Na plataforma, o profissional da beleza, por exemplo, consegue encontrar o curso que ensina técnicas de maquiagem para noivas. Já quem é fotógrafo, pode se interessar pelo curso que explica como fotografar recém-nascidos. Todos eles, no entanto, são pagos. Os preços variam de R$ 90 a R$ 300 reais. O de liderança e gestão de pessoas, por exemplo, que custa R$ 299 é dividido em 41 videoaulas. Ele é ministrado por Daniel Kroeff, professor que dá aula em MBAs da Fundação Getúlio Vargas.

Muitas dessas aulas de todos os cursos do catálogo do EduK podem ser “testadas” gratuitamente. E mais: diariamente a ferramenta disponibiliza sessões livres de cursos que estão sendo exibidos a partir dos estúdios localizados na capital paulista. A transmissão é ao vivo e o usuário não precisa pagar nada para assistir a aulas de culinária, estética e artesanato, que também fazem parte da grade de treinamento do portal. A partir daí, quem se interessar pela “amostra” do respectivo curso que está sendo veiculado em streaming pode comprar o pacote geral do treinamento e assistir no ritmo que melhor lhe convier. A duração de cada curso é de aproximadamente 20 horas.

Eu, instrutor

Cinco meses depois da sua entrada na América Latina, com um site também em espanhol para o público da região, a Floqq – uma startup sediada em Madrid –, resolveu lançar sua versão em português. A plataforma é outro exemplo de ferramenta que, apoiando-se no e-learning, busca disseminar informações e conhecimentos com a oferta de cursos.

O principal diferencial do portal em relação ao EduK, é que o Floqq oferece cursos completos on-line gratuitos. São cerca de 30 cursos que ensinam a criar uma videoaula ou ainda voltados à introdução à programação. Além da modalidade gratuita, a plataforma madrilena também oferece cursospagos. São 32 ao todo. “Como estudar nos Estados Unidos”, “Como se comunicar em situações de crise” e “Educar através do futebol” são alguns deles. Veja o catálogo completo.

Além disso, o Floqq permite que profissionais considerados habilitados a dar cursos possam entrar em contato com a equipe de desenvolvedores da plataforma madrilena e se tornar instrutor de um curso. “Todos temos muito que aprender e um pouquinho que ensinar, desde como preparar as 10 sobremesas mais famosas do mundo até como se comunicar em situações de crises organizacionais”, afirma, em nota, González de Villaumbrosia, cofundador do portal.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *