Projeto mapeia objetos digitais de aprendizagem

Porvir – 17/05/13  – 

Projeto realizado a partir da parceria entre Instituto NaturaInspirare eInstituto Educadigital identifica recursos digitais de aprendizagem pelo Brasil e pelo mundo. Conhecidos também como ODAs (Objeto Digital de Aprendizagem), esses materiais – vídeos, games, animações, videoaulas, infográficos, mapas etc.– são utilizados como ferramenta pedagógica dentro e fora da sala de aula. A ideia do projeto é levantar o que existe hoje de recursos disponíveis para a educação infantil, o ensino fundamental e médio, entender que áreas do conhecimento estão mais ou menos atendidas, disponibilizar gratuitamente a lista de ODAs mapeados para apoiar o trabalho de professores, gestores, investidores e empreendedores. Para reunir o maior número possível de objetos, os parceiros da iniciativa estão realizando uma chamada pública para que pessoas de qualquer parte do país possam contribuir com as suas referências.

Para colaborar, os interessados só precisam preencher o formulário virtual com as suas sugestões, que podem ser dicas, links, indicações, entre outros. As recomendações serão avaliadas pela equipe do projeto e, se estiverem de acordo com os critérios do mapeamento, serão divulgadas em uma plataforma aberta ao público, a ser lançada no segundo semestre deste ano, com os devidos créditos dos participantes.

 

Daniel Wiedman / Fotolia

 

“Como premissa inicial, concordamos que ODAs são ferramentas que podem ou não enriquecer um processo de ensino e de aprendizagem, e que tudo vai depender, de fato, da proposta pedagógica do educador”, afirma Priscila Gonsales, diretora-executiva do Instituto Educadigital. É o que também acredita Anna Penido, diretora do Inspirare, que aposta no potencial das tecnologias para promover um ensino mais personalizado, em larga escala, permitindo que cada aluno aprenda do seu jeito e no seu ritmo. “Para isso, precisamos mais do que suprir as escolas com computadores e tablets. Precisamos fazer um esforço coletivo para criar plataformas e objetos digitais de aprendizagem que possam oferecer aos alunos brasileiros múltiplas possibilidades de desenvolver seus conhecimentos e habilidades”, diz.

Já para Lucila Schieck Valente Ricci, coordenadora de projetos inovadores do Instituto Natura, o projeto será fundamental para ajudar na democratização do acesso ao conhecimento e às práticas inovadoras na educação. “Essa iniciativa vai contribuir para colocar o aluno no centro do processo educativo, ao garantir a personalização, a colaboração e a diversidade de experiências, buscando potencializar os resultados de aprendizagem”, afirma.

Encontro de Recursos Digitais 

Para ajudar no mapeamento dos objetos digitais, estão sendo realizadas entrevistas e discussões com organizações parcerias que já fazem este trabalho, como o QMágico, a Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro, a Universidade Presbiteriana Mackenzie, entre outros. No Mackenzie, inclusive, a chamada pública acontece durante o 2º Congresso de Recursos Digitais na Educação, entre os dias 23 e 25 de maio, em São Paulo. No encontro serão apresentados trabalhos acadêmicos na área e realizados minicursos abordando temas como: ambientes virtuais de aprendizagem, desenvolvimento de objetos de aprendizagem, formação de educadores na era digital, entre outros. As inscrições para o evento, que é gratuito, podem ser feitas por meio do site do Congresso.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *