Oficinas ensinam crianças a refletir com montagem de brinquedos

 Vanessa Fajardo Do G1, em São Paulo –  24/06/2013

Brinquedos se movimentam e são feitos 100% de materiais reaproveitados.
Atividade faz parte da plataforma educacional TooDo Eco.

 Chapéu mexicano feito com recicláveis (Foto: Divulgação/ TooDo Eco)Chapéu mexicano feito com recicláveis
(Foto: Divulgação/ TooDo Eco)

Uma caneta, pedaços de barbante, um CD, uma rolha, tampas e uma garrafa pet cortada se transformam em um chapéu mexicano com cadeirinhas que se movimentam como o brinquedo de verdade do parque de diversões. A montagem do ‘chap-mex’, feito somente com materiais reaproveitados, também serve de exercício de reflexão, descobertas e debates entre as crianças.

Essa é a proposta do TooDo Eco, plataforma educacional criada pela advogada chilena Daniela del Campo, de 42 anos, e a artista plástica brasileira Ana Maria Lavander, a Naná, de 37. Juntas, elas ministram oficinas em escolas para ensinar crianças a aproveitar materiais recicláveis, pensar e se divertir ao mesmo tempo.

“O brinquedo é um instigador da curiosidade das crianças, elas adoram. Não é como jogar o conteúdo para prova simplesmente e cortar a curiosidade pela raiz”, diz Daniela.

As oficinas são gratuitas e têm duração de quatro meses com aulas semanais. Na temporada, as crianças aprendem a montar quatro brinquedos com mecanismos diferentes. O primeiro é  o chapéu mexicano, o segundo uma aranha de oito patas e oito olhos que movimenta as patas e o terceiro, um dragão que mexe as asas. O quarto brinquedo é inventado pelas as crianças que aplicam os mecanismos que elas aprenderam. Somente itens reciclados são utilizados.  A montagem é feita sempre em grupos e as descobertas e dúvidas são compartilhadas.

Daniela e Naná já ministraram a oficina na escola municipal de São Paulo Amorim de Lima, localizada no Butantã, na Zona Oeste de São Paulo, e atualmente estão no Projeto Âncora, em Cotia, na Grande São Paulo. Ambas têm projetos pedagógicos inspirados na Escola da Ponte, de Portugal, que não separa os alunos por séries e ensina as disciplinas por meio de projetos.

Para dar o pontapé inicial ao projeto, elas optaram por escolas com este perfil, que têm “maneiras diferentes de ensinar e possuem projetos pedagógicos que reforçam a autonomia do aluno”, como Daniela define. No entanto, elas estão abertas a fechar parcerias com outras escolas e secretarias da Educação.

“Acolhemos a oficina de brinquedos porque reforça nossa proposta pedagógica, pensamos de forma parecida, em que a criança se torna protagonista. Durante a oficina, o aluno pode pensar e questionar”, afirma Suzana Ribeiro, coordenadora do Projeto Âncora. O colégio atende 240 alunos do ensino fundamental um e dois de famílias carentes da região de Cotia.

O educador Victor Lacerda, de 29 anos, do Projeto Âncora diz que a oficina de brinquedos permite o aprendizado sem exclusão. “É a não-exclusão e a sustentabilidade em todos os âmbitos. Além disso, o conhecimento através da prática fixa no ser humano.”

A próxima empreitada da TooDo Eco é criar um álbum de figurinhas batizado de All-boom com jogos e ilustrações. “Doze ilustradores estão no projeto, vai ser como um livro de artes e vai fazer parte de um programa educativo para inspirar as crianças”, afirma Daniela.

Montagem dos brinquedos se torna espaço para compartilhar descobertas e dúvidas (Foto: Divulgação/ TooDo Eco)Montagem dos brinquedos se torna espaço para compartilhar descobertas e dúvidas no Projeto Âncora (Foto: Divulgação/ TooDo Eco)
Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *