Notas máximas do Enem sobem em todas as provas, exceto linguagens

G1 – 22/01/2014 

Inep divulgou a maior e a menor nota possíveis nas provas objetivas.
De 2012 para 2013, notas de humanas, natureza e matemática subiram.

 As notas máximas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) subiram na edição de 2013, em comparação com a de 2012, em três das quatro provas objetivas: ciências humanas, ciências da natureza e matemática. Na prova de linguagens e códigos, ela foi ligeiramente mais baixa, segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). A maior nota registrada entre as quatro provas objetivas foi na prova de matemática: 971,5.

Todos os anos, após abrir os resultados do Enem para consulta individual dos candidatos, o Inep divulga a nota máxima e a mínima em cada prova objetiva.

Em 2013, pouco mais de 5 milhões de candidatos participaram dos dois dias do Enem. No primeiro dia, foram aplicadas as provas de ciências humanas e de ciências da natureza.

Em ciências humanas, a maior nota tirada por um candidato na prova foi 888,7, e a menor foi 299,5. As duas pontuações foram mais altas que as registradas no Enem 2012 (874,9 e 295,6). Em ciências da natureza, a nota máxima registrada foi 901,3 pontos, e a mínima, 311,5, também mais altas que na edição anterior, quando a maior nota foi 864,9 e a menor foi 303,1.

No domingo, quando os candidatos fizeram as provas de matemática, de linguagens e de redação –que é corrigida usando outra metodologia. Em matemática, a nota máxima foi 971,5 (mais alta que os 955,2 pontos registrados em 2012). O menor desempenho de um candidato foi 322,4 pontos; em 2012, a nota mínima havia sido 277,2.

Em linguagens, a nota mais alta do Enem 2013 foi 813,3, ligeiramente mais baixa que no Enem 2012, quando a nota máxima dos candidatos nesta prova foi 817,9. A nota mínima chegou a 261,3, mais de 30 pontos abaixo da menor nota registrada na edição anterior do Enem, que foi de 295,2.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *