‘Não admitirei’ salas vazias e lotadas, diz secretário estadual da Educação

G1 – 04/02/2015 

O secretário da Educação do Estado de São Paulo, Herman Voorwald, disse na manhã desta quinta-feira (4) que, todo início de ano letivo, as escolas passam por período de rearranjo de acordo com as novas matrículas e transferências. O Bom Dia São Paulo tem mostrado que, desde a retomada das aulas, turmas em diferentes escolas estão com um número maior de alunos que o estabelecido.

Para o secretário, as salas com o número maior de alunos estão passando por um período de adequação. Ele pediu paciência, mas afirmou que já determinou a abertura de novas salas caso haja necessidade. “Eu não admitirei [salas] fora do módulo nem abaixo [poucos alunos] e nem acima [muitos alunos]. Meu compromisso como secretário é com o módulo”, disse Voorwald.

Entre os casos mostrados pelo Bom Dia São Paulo, está o da Escola Estadual Silva Jardim, no Tucuruvi, Zona Norte, onde as mesas de uma sala foram colocadas lado a lada e as cadeiras foram substituídas por bancos para que todos os alunos pudessem se sentar.

A determinação da secretaria é que as séries iniciais do ensino fundamental tenham 30 alunos e séries finais, depois do sexto ano, 35 estudantes. No Ensino Médio, cada turma deve ter até 40 alunos.

Voorwald explicou que os alunos da rede estadual são automaticamente rematriculados. No entanto, no início do ano letivo são comuns as transferências. Em 2014, nos primeiros 15 dias do ano, foram feitas 107 mil novas matrículas e 180 mil transferências. “Em 15 dias, a secretaria movimentou 287 mil pessoas. Esse rearranjo acontece ao longo esse período”, afirmou.

De acordo com o secretário, a rede passa por uma restruturação já que, em 2014, 233 salas na rede tinham apenas 10 alunos. “No Ensino Médio, isso significa 11 professores para atender 10 alunos. Eu não posso como gestor público não organizar essa rede”, disse. A rede estadual conta com 5,4 mil escolas, 4 milhões de estudantes e 240 mil professores.

“Eu peço que essa movimentação seja entendida antes de qualquer tipo de manifestação do tipo sala superlotada ocorra. Eu não admitirei sala fora do módulo nem abaixo nem acima. No momento em que essa dinâmica de movimentação se assentar, eu garanto que, se houver sala com mais aluno que o módulo, eu já determinei que salas sejam abertas e que aulas sejam atribuídas”, declarou.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *