Brasileiros falam mal o inglês

Revista Educação – Yolanda Drumon

Pesquisa aponta que Brasil está em 46° lugar, do total de 54 países, no que se refere ao domínio da língua inglesa

A percepção de que os brasileiros falam mal o inglês foi comprovada em pesquisa da empresa de intercâmbio EF, realizada entre 2009 e 2011, e divulgada no ano passado: o Brasil está em 46º lugar do total de 54 nações pesquisadas no que se refere ao domínio da língua inglesa.

O nível de habilidade no inglês foi medido a partir de três testes on-line: dois não adaptativos – disponíveis gratuitamente a qualquer pessoa – e baseados em 60 e 70 perguntas, respectivamente. O terceiro, de nivelamento, foi aplicado na inscrição dos cursos da EF e consistiu na aplicação de 30 perguntas, cada uma vinculada à outra pelo grau de dificuldade. Em todas as provas, foram testadas habilidades em gramática, vocabulário, leitura e audição. Os participantes fizeram os testes a partir do próprio computador, em casa. Foram incluídos no estudo países com um mínimo de 400 participantes.

Outro indício da dificuldade do brasileiro com língua estrangeira foi o lançamento, no final do ano passado pelo governo federal, de um programa de aperfeiçoamento da língua inglesa para os estudantes que queiram fazer intercâmbio pelo programa Ciência sem Fronteiras, que propicia bolsa para alunos brasileiros que queiram estudar no exterior. A pontuação mínima exigida na prova de inglês para participar do programa também foi reduzida.

Veja, abaixo, o resultado da pesquisa por estado:

 

Regiões brasileiras

contempladas pelo estudo


Proficiência em inglês / Índice

São Paulo Proficiência baixa – 48.85
Rio de Janeiro Proficiência baixa – 50.35
Espírito Santo Proficiência baixa – 46.82
Minas Gerais Proficiência baixa – 47.78
Paraná Proficiência baixa – 49.71
Santa Catarina Proficiência baixa – 48.45
Rio Grande do Sul Proficiência baixa – 48.80
Goiás Proficiência muito baixa – 44.25
Distrito Federal Proficiência baixa – 48.56
Mato Grosso Proficiência muito baixa – 40.90
Mato Grosso do Sul Proficiência muito baixa – 45.32
Bahia Proficiência muito baixa – 44.22
Sergipe Proficiência baixa – 48.91
Pernambuco Proficiência muito baixa – 46.58
Paraíba Proficiência baixa – 48.67
Rio Grande do Norte Proficiência muito baixa – 46.64
Ceará Proficiência baixa – 47.71
Piauí Proficiência muito baixa – 46.48
Maranhão Proficiência muito baixa – 43.42
Tocantins Proficiência muito baixa – 42.53
Pará Proficiência muito baixa – 42.53
Amapá Proficiência muito baixa – 40.45
Amazonas Proficiência muito baixa – 44.66
Rondônia Proficiência muito baixa – 40.47
Acre Proficiência muito baixa – 44.78
Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *